p1010014.JPG

SITUAÇÃO GEOGRÁFICA DO MUNICÍPIO.

LIMITES: INCONFIDENTES, BORDA DA MATA, BOM REPOUSO, ESTIVA.

ALTITUDE: 1030 M. ACIMA DO NÍVEL DO MAR.

TOPOGRAFIA: VÁRZEA E SERRAS CLIMA: TEMPERATURA MÉDIA DE 25º

LOCALIZAÇÃO: SITUA – SE NA ZONA SUL DO ESTADO DE MINAS GERAIS, A 50 KM DA RODOVIA FERNÃO DIAS

HIDROGRAFIA: RIO MOGI GUAÇU,  RIO DO BARREIRO, RIO ESPRAIADO, RIO CAPINZAL E INÚMEROS CÓRREGOS.

POPULAÇÃO: 4026 HABITANTES ( SEGUNDO CENSO 2007)

O Nascer de um Povoado - Por volta do ano de 1845, vindo dos arredores de Cambuí, Pedro Felipe da Rosa e Neco Fabrício, subindo e descendo serras e desbravando densas matas, encontraram grande área  para plantio banhado por dois volumosos rios. A 8 KM abaixo das primeiras nascentes desses rios ambos se afazendaram, Pedro ao lado esquerdo do rio e Neco ao lado direito.Indo percorrer a redondeza encontraram uma pequena família de nativos daquele lugar. Segundo informações  tinham pele escura eram corpulentos. Pouco  falavam, resmungavam e assustados andavam à espreita. Ao encontrar essa gente Pedro atentou em leva los para movimentar a fazenda. Parentes e amigos de Pedro e Neco seguiram o mesmo caminho, vindos de Cambuí  instalaram – se junto a eles.

Dona Brandina, mulher de Pedro  Felipe, foi ajeitando para o trabalho as mulheres da pequena família primitiva, conhecida como “os Coeios”. Então, a fazenda foi crescendo. Muita lavoura de cana, de milho de mandioca, engordava – se muito porco, tinham carneiros. Tinham engenho e monjolo em cada casa, onde se fazia muita rapadura, polvilho e se torrava farinha. Uma das mulheres da família “Coeio” conhecida como Raquel, viveu segundo se conta, 30 anos à torrar farinha e o fazia com perfeição. Da Família dos “Coeio” só uma se casou, os outros aos poucos foram morrendo. Enquanto isso , as famílias dos: Rosas, Bentos, Fabrícios, Quinzótes e Custódios, vindos de Cambuí, casavam – se entre si. Assim terras eram divididas e arrendadas, formando o vilarejo de Tocos do Moji.

A Origem do Nome - Há diferentes versões para a origem do nome Tocos do Moji . Primeiramente conta – se que bandeirantes vindos da região de Mogi Guaçu, subiram as corredeiras do rio Mogi à procura de ouro. Estes já conheciam este rio pelo nome de Mogi que significa rio e Guaçu que significa grande, na língua nativa dos índios pertencentes a esta região  de SP.Mas, o mais polêmico seria a palavra Tocos que em grego significa nascente, ou seja, nascente do Rio Moji. Ou então Tócos  de tocos de árvores. Pois, contam que a vegetação de Tocos do Moji era constituída essencialmente por aruacárias e outras árvores de madeira de lei que eram vendidas à fabriqueiros da época. Então, a  parte mais plana do vilarejo foi ficando conhecida na região por tocos, pelos tocos das árvores que ali restavam.Conta – se que haviam enormes árvores e araucárias muito grossas sendo necessário fazer multirões para derrubar uma arvóre e estremecendo o chão ao derruba – la. 

De Distrito a Municípiop1010019.JPG - Até então, Tocos do Moji  pertencia ao município de Pouso Alegre. Os assuntos de ordem religiosa como batismo, enterro, casamento eram tratados em Borda da Mata.Na Administração do Sr. Raul Cobra em Borda da Mata, foi criado o distrito de Tocos do Moji passando a pertencer ao município de Borda da Mata em 02 de março de 1938.Em 1939 cria – se o primeiro Cartório  de Tocos do Moji sob tutela de José Tomaz Cantuária.A partir do ano de 1895 chegam os trilhos da Estrada de Ferro Sapucaí até  Borda da Mata, iniciando –se  movimentação e promissoras possibilidades para o comércio em toda aquela região. Tocos que então se abastecia com produtores essenciais  como querosene, sal, tecidos na cidade de Estiva, passou a comercializar com Borda da Mata.Em 1951 foi construída  da Ponte de Pedra sobre o Rio Moji facilitando o acesso dos moradores de Tocos do Moji à Borda da Mata.Em 1955 construi – se o primeiro grupo escolar.Em 1995, na administração de Luiz Carlos Cobra, o distrito de Tocos do Moji se emancipou.Em 1996 o município já emancipado ainda ficou sobre o governo e administração de Borda da Mata.Em 1997 em primeiro de Janeiro tomou posse o Dr. Antônio Rodrigues da Silva como primeiro prefeito de Tocos do Moji.Atualmente a cidade de Tocos do Moji é governada pelo Sr. Antônio Rosário Pereira.

A primeira capela foi construída nos arredores da fazenda de Vicente Garcia da Rosa, onde rezou – se algumas novenas e começaram – se algumas festas. Até que se enterrou nesta capela uma mulher que morreu de “bexiga”, doença corriqueira na época. Então, os moradores com medo do contágio da doença nunca mais rezaram na Capelinha, tratando logo de construir uma igreja maior para seus fiéis.Em lombo de burro ou a cavalo eram feitas as longas e as curtas viagens. Pedro Fabrício da Rosa homem de muita fé  e algumas boas posseçoes, juntou um saco de moedas e foi para Aparecida do Norte comprar uma Santa para o pequeno Vilarejo. Trouxe então uma imagem de Nossa Senhora Aparecida que existe ainda hoje na igreja Matriz de Tocos do Moji. Assim, foi necessário fazer uma igreja, com a ajuda de toda a comunidade, ali  existente, ergueu – se uma Capela. Data – se do  dia 18/07 de 1919, a lavra da escritura de doação do patrimônio da Capela, assinada por Pedro Fabrício. Nesta Capela celebrou – se algumas missas por padres vindos de Borda da Mata.Por volta  dessa época inicia – se uma banda de música em Tocos. Os instrumentos foram comprados através do dinheiro arrecadado através de quermesses  realizadas pela comunidade local. Um maestro de fora foi contratado e esta banda chegou a ter  aproximadamente 20 componentes.


 
 
 

Previsao do Tempo